No primeiro ano após a vigência do Estatuto do Desarmamento, houve a primeira redução de homicídios no Brasil em mais de 10 anos.

Com o crescimento populacional a criminalidade e as mortes por armas de fogo também cresceram, mas num ritmo muito menor a partir do Estatuto de Desarmamento


Com o crescimento populacional a criminalidade e as mortes por armas de fogo também cresceram, mas num ritmo muito menor a partir do Estatuto de Desarmamento.

Sem a legislação que controla o uso de armas no Brasil, o nível de crimes no Brasil seria alarmante. O ano de 2004, primeiro de proibição de porte civil e vigência do Estatuto, registrou a primeira queda no índice de homicídios no país após mais de uma década de crescimento ininterrupto.

Estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Espírito Santo, que vêm encarando o controle de armas com seriedade e combinando-o com políticas de segurança pública integradas, estão vivendo quedas consecutivas e consistentes em seus índices de homicídio.

Não à toa, três secretários de segurança pública (SP, RJ, ES) assinaram a carta aberta em apoio ao Estatuto do Desarmamento.

VOLTAR PARA HOME