Andar armado não evita roubos e ainda aumenta a chance do cidadão ser morto ao ser vítima de um assalto.

O que antes seria surpreender, render e roubar a vítima, se transforma em surpreender, matar e roubar.


Embora traga uma falsa sensação de segurança, não é verdade que o “cidadão de bem” armado pode evitar crimes e dissuadir criminosos.

Evidências científicas no Brasil e no exterior deixam isso claro. Três teses de doutorado em economia da PUC-Rio, da FGV e da USP evidenciam que a maior disponibilidade de armas de fogo nas cidades causa um aumento significativo na taxa de homicídio, mas não possui nenhum efeito para dissuadir o criminoso profissional, bem como os roubos e os furtos subjacentes.

Duas pesquisas, uma conduzida pelo IBCCRIM - Instituto Brasileiro de Ciências Criminais "Também morre quem atira" e outra pelo Centro de Estudos em Criminalidade e Segurança Pública da Universidade Federal de Minas Gerais, "Estar armado dobra a chance de ser agredido em assalto", demonstram que reagir a uma agressão com uma arma de fogo aumenta as chances de ser ferido ou morto pelo agressor.

VOLTAR PARA HOME