Câmera de segura registra troca de tiros entre policiais na Zona Sul de SP

Matéria veículada no G1 em 10/05/2017

clique aqui para ver o vídeo da reportagem

Um vídeo que está circulando pelo WhatsApp mostra dois policiais militares aposentados trocando tiros em Moema, área nobre da Zona Sul de São Paulo, no último sábado (6). Um deles morreu e o outro sobreviveu. O G1 teve acesso às imagens que estão sendo compartilhadas pelo aplicativo de celular (assista acima).

O cabo reformado Marcos Antonio Abraão morreu na troca de tiros com o soldado reformado Hector Marcelo Vieira. Marcos fazia bico de segurança para a Provet na Avenida Aratãs e Hector estava como segurança de um convidado da Casa Petra, buffet que fica em frente ao hospital veterinário. No local seria realizado um casamento.

Câmeras de segurança da Provet gravaram o tiroteio, que teria começado após uma discussão por causa de um carro estacionado num local que seria proibido na rua. Testemunhas contaram ao G1 que os dois não se conheciam. Pelas imagens não é possível afirmar com certeza quem atirou primeiro: isso caberá a perícia do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Técnico-Científica.

Marcos estava armado com um revólver calibre 38, enquanto Hector usava uma pistola .40. Segundo testemunhas, o segurança do hospital pediu para o outro PM não estacionar o carro num determinado ponto da rua. A Provet já estava fechada no momento em que ocorreu a troca de tiros.

Imagens

As cenas mostram Marcos e Hector caminhando e conversando. Eles atravessam a rua, depois discutem. O cabo empurra o soldado e ocorrem os disparos. Segundo testemunhas, Hector cai ferido, mas mesmo no chão atira. Marcos também dispara, mas depois fica caído baleado. Equipes da Polícia Militar foram acionadas e providenciaram o socorro aos dois. Eles acabaram levados por bombeiros a um hospital.

Marcos morreu. Hector estava internado até a publicação desta reportagem. Quando receber alta, ele será ouvido e, possivelmente, indiciado por homicídio. O estado de saúde do soldado era considerado estável.

O caso será investigado pelo 27º Distrito Policial (DP), no Campo Belo. Inicialmente, ele havia sido tratado pela Polícia Militar (PM) como uma desavença porque um teria desconfiado do outro de que se tratava de uma tentativa de assalto. Essa hipótese, porém, perdeu força, segundo policiais ouvidos pela reportagem.

Procurado pelo G1 para comentar o assunto, o hospital Provet não quis se pronunciar. Questionada pela reportagem, a administração da Casa Petra informou que o segurança, posteriormente identificado pela polícia como Hector, não trabalhava para o buffet.

A PM também informou que as investigações serão feitas pela Polícia Civil, e o caso deverá ser analisado na Justiça comum, já que os dois eram aposentados.

Por meio de nota, a asssessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que "o policial reformado Hector Marcelo Vieira foi preso em flagrante por homicídio e está internado sob escolta policial. As imagens já foram solicitadas e serão anexadas ao inquérito policial."