Jovem é baleado em Itaquaquecetuba ao retirar alimento vencido de lixo de supermercado

Matéria veiculada no G1 dia 31/07/2017

Um jovem, de 17 anos, foi baleado em Itaquaquecetuba na madrugada desta segunda-feira (31). Ele estava com um grupo que pegava alimentos vencidos na caçamba de um supermercado da cidade. O caso foi registrado como tentativa de homicídio.

Segundo o boletim de ocorrência, um guarda municipal relatou que fazia a segurança na Secretaria Municipal de Indústria e Comércio e quando estava perto da porta de acesso à Rua Dom Tomás Frey, por volta da meia-noite, ouviu barulhos que pareciam disparos de arma de fogo.

Ele fez contato com outra guarda municipal que também estava de serviço no local e viram três pessoas perto da esquina na Estrada de Santa Isabel.

Os guardas contaram ainda que quando se aproximavam, duas pessoas saíram correndo e uma ficou. Uma quarta pessoa estava caída no chão com um ferimento na região do pescoço e que aparentava ser causado por disparo de arma de fogo.

Os guardas solicitaram apoio de outra equipe da GCM e a presença do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O ferido, um estudante de 17 anos, foi encaminhado para o Hospital Santa Marcelina. Um autonômo, de 19 anos, relatou à polícia que os indivíduos que correram e o jovem ferido estavam com ele.

Segundo o rapaz, o grupo havia entrado no estacionamento do supermercado para pegar mercadorias vencidas que são descartadas no lixo do estabelecimento.

O jovem afirmou que um segurança que estaria em um dos andares superiores do supermercado fez ameças e teria efetuado disparos de arma de fogo.

Nesse momento, segundo o autonômo, todos correram, mas o estudante teria sido atingido pelo disparo enquanto corria.

Ele completou que instantes depois chegou um GCM que acionou o resgate. Uma perícia foi solicitada para o local e o Setor de Homicídios foi notificado.

De acordo com o boletim,o delegado Sandro Mazzo relatou que não consegue determinar a autoria do delito, apesar de haver fortes indícios que teria sido um dos seguranças do supermercado.

Ele justificou que há apenas a versão apresentada pela testemunha dos fatos, relatando a origem dos disparos e o relato do GCM, dizendo que ouviu três disparos. O delegado pediu a realização de um exame de corpo de delito.