No Paraná, disparo em comemoração a Bolsonaro mata menino de 8 anos

Matéria veiculada no Sul21 em 29/10/2018

Um menino de 8 anos foi morto na noite deste domingo (28) em Ponta Grossa, interior do Paraná, após ser atingido por um tiro dado por um homem que comemorava a vitória do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Ao bombeiro que atendeu a ocorrência, os pais da vítima afirmaram que um amigo da família manuseava a arma quando teria ocorrido dois disparos acidentais, um deles atingindo a criança.

Outras testemunhas também afirmaram que o homem comemorava o resultado do segundo turno das eleições 2018 com disparos para cima. Os pais colocaram o menino no carro e saíram em busca de atendimento e, no caminho, foram socorridos por uma ambulância, mas ele não resistiu e morreu no local.

O autor dos disparos, que não teve a identidade revelada, foi preso em flagrante pela Polícia Militar, que também apreendeu a arma. A situação em que teriam sido efetuados os disparos não foram confirmadas pelos policiais.

Bahia

Em Salvador, capital da Bahia, a estudante Janaína Barata, de 19 anos, foi agredida por policiais militares, quando tentava apartar uma discussão entre militantes petistas e defensores do presidente eleito, no bairro Rio Vermelho. Ela buscava controlar a repressão da polícia que, com gás de pimenta, tentava dissipar uma aglomeração criada após uma discussão entre dois homens. “Eu falei: ‘calma, ele não fez nada’. Aí, me deram uma cassetada na cara, eu caí”, relatou.

O governador reeleito da Bahia, Rui Costa (PT), disse que o caso será levado à Corregedoria da Polícia Militar. “Condeno os atos de violência que ocorreram na noite de hoje no Rio Vermelho. Assim que tomei conhecimento dos fatos, determinei ampla e rigorosa apuração da ação policial pela Secretaria de Segurança Pública”, afirmou o governador pelo Twitter.

Ainda antes do resultado final da apuração, um grupo de apoiadores de Bolsonaro saiu em carreata para comemorar a iminente vitória do seu candidato e trocaram provocações com militantes do PT que acompanhavam a apuração em frente ao Largo de Santana.