Após briga de trânsito, homem saca arma e atira contra carro em Aparecida de Goiânia; vídeo

Matéria veiculada no G1 em 06/05/2019

Um homem foi flagrado atirando contra um carro no meio de uma rua da Vila Brasília, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. A ação foi registrada por um celular (vídeo). Apesar dos disparos, ninguém se feriu. A Polícia Civil afirma que a situação aconteceu após uma discussão de trânsito.O caso aconteceu na tarde de domingo (5). As imagens mostram quando o homem empunha a arma e efetua um disparo contra o veículo, que acelera e sai do local. Em seguida, ele volta correndo, entra em uma BMW e também vai embora. A polícia disse que antes da gravação, ele atirou outra vez.

O condutor do outro carro procurou o 2º Distrito Policial nesta segunda-feira (6) e registrou uma ocorrência. O homem, que preferiu não se identificar, tem 34 anos, é técnico em mecatrônica e disse que estava com dois sobrinhos menores, de 12 e 15 anos, a caminho de uma feira.

"[O homem] já desceu me agredindo, falando que eu estava jogando pedra no carro dos outros. Aí ele já começou a me destratar, falar vários palavrões e se identificou como polícia", afirma.

Em seguida, conforme a vítima, o homem o ameaçou e logo depois efetuou os disparos.

"Aí ele pegou e falou assim ‘eu vou te dar um tiro’. Eu falei assim: 'Se você quiser atirar a consciência é sua, estou com meu sobrinho dentro do carro, indo para a feira, estou saindo’. Eu fui saindo. Aí ele deu o primeiro disparo e eu assustei", pontua.

Investigação

O delegado Lúcio Flávio Bernardes, responsável pelo caso, disse que cerca de quatro quarteirões antes, os dois tiveram um entrevero no trânsito. O motorista da BMW alegou que teve o carro estragado quando passavam por um local com cascalho.

"A princípio, uma briga de trânsito banal, onde a vítima, acelerando seu carro, fez com que pequenas pedras tivessem atingido o carro do autor", pontua.

Ele perseguiu o outro veículo até que ambos pararam. Apesar do homem ter alegado que era policial, o delegado não acredita na afirmação.

"Ele foi até a vítima começou a xingar ela e nesse momento se identificou que era policial civil, a vítima pediu a documentação, mas ele não apresentou", destaca.

Bernardes pontuou que já puxou as placas do veículo - que são de Brasília - e que o proprietário já foi identificado. Porém, não é possível afirmar se era ele conduzia o veículo e efetuou os disparos. Ele tem outros carros de luxo em seu nome.

A polícia tenta localizá-lo para colher sua versão sobre a história. Duas cápsulas calibre 380 foram recolhidas no local.Novas testemunhas do caso devem ser ouvidas ainda nesta tarde.